Books Transform Their World

These are all the self-promotional pieces I've created for my attendance at Bologna Children's Book Fair '13. I wanted to do a serie of five postcards with my own lettering, one for each day of this amazing worldwide event within the editorial and illustration industry. I've come to realize that books really transform a child's home and environment. We may believe that they are sitted on their sofa, just reading a story, but actually they are miles away and yet so close, not in another world, but in their own world transformed into something exciting and joyful.

Eis as peças de self-promotion que criei para levar e distribuir na Bologna Children's Book Fair '13. Quis fazer uma série de cinco postais, um para cada dia da maior feira de edição infanto-juvenil do mundo. Tenho vindo a aperceber-me que os livros têm de facto a capacidade de transformar a casa e o ambiente à volta das crianças. Podemos acreditar que eles estão apenas sentados no sofá a ler uma história, mas realmente estão a quilómetros de distância, não noutro mundo, mas no seu mundo, transformado em algo entusiasmante.




Bologna Children's Book Fair '13

A primeira vez que me falaram da Bologna Children's Book Fair (BCBF) foi no verão de 2010, quando escrevi a uma ilustradora que admirava muito, para pedir-lhe uma opinião sobre o meu trabalho.
Na altura, encontrava-me a estagiar como designer, e a minha ilustração era mais que verde. Nem sei onde fui arranjar a coragem de lhe enviar o mail, mas o que importa é que, para minha enorme alegria, a resposta foi rápida e extensa. Ela afirmava que eu tinha um longo caminho por percorrer, e que não devia ver isso como algo desanimador, mas sim prometedor, devido à liberdade que me dava para criar. Em seguida, desbobinava uma série de eventos, cada um com um nome mais aliciante que o anterior. No entanto, a minha imaginação ficou presa nesta frase: 'Bologna Children's Book fair - a maior feira de edição infanto-juvenil do mundo, a esta feira um ilustrador tem de ir pelo menos uma vez na vida!' Céus, era a Meca dos ilustradores!



Não pus nem pouco mais ou menos a hipótese de ir naquele ano. Ainda bem que não o fiz - tinha uma visão muito superficial do que se fazia lá! Supunha que era um espaço gigante cheio de livros infantis vindos de todas as partes do mundo, sem sonhar quão maior do que isso se tratava.
Em 2011 mudei-me para Barcelona, para realizar uma pós-graduação em Ilustração. Tive a graça de ter professores e colegas maravilhosos, ilustradores que conheciam a realidade do mercado e me abriram os olhos para as infinitas oportunidades que esta feira potencia. Era indispensável ir! Tanto se falava do assunto, que ponderei a viagem...
Acabei mais uma vez por não ir. Podia já ter noção do que realmente significava aquela feira, mas não me encontrava preparada como ilustradora. Não tinha um portefólio consistente nem qualquer tipo de contacto pré-estabelecido com editoras, e suspeito que isso teria sabotado o investimento na viagem. Jurei a mim mesma que a partir dali me prepararia para em 2013 apostar na BCBF.




Quando abriram as candidaturas para a Exposição de Ilustradores da BCBF 2013, concorri, e, mesmo não ficando seleccionada, ganhei acesso gratuito a todos os dias da feira! (Aproveito para escrever como senti reduzida, quando saiu a lista das 3147 candidaturas, a participação portuguesa no concurso. Deixo também os meus entusiastas parabéns à Mariana Rio, a única seleccionada para a exposição, com o seu delicioso trabalho de carimbos e cores cheias de força! Para ver o trabalho dela, mergulhem aqui.)







Long story short, a 25 de Março estava a apanhar o avião para Bologna. Confesso que saltei quando cheguei ao recinto da entrada...saltei como uma miúda! A feira é enorme e bela! Nunca tinha visto tantos livros para crianças juntos na minha vida...para cada lado por onde olhava, havia algo interessante ou especial. Também foi bom para confirmar que aquele era o meu universo. Senti-me em casa, a ilustração estava por todo o lado.


Agora, acho que pode ser útil, para jovens ilustradores como eu, o acesso a alguma info em relação à BCBF. Se não são ilustradores e/ou já estão fartos de ler, por favor saltem até aos três ***

Coisas a não deixar de levar na mala para a BCFB


1) A primeira coisa a levar na mala é uma grande dose de lata. Perdoem-me se a palavra não é muito elegante, mas não se trata de pro-actividade, atitude ou persistência. É mesmo lata. Entendam, quando um editor que após horas e horas de reuniões e entrevistas com outros editores, agências de direitos e ilustradores, tem finalmente um minuto para relaxar, e nesse um minuto um jovem ilustrador lhe pergunta entusiasticamente 'Por favor, pode ver o meu portefólio?', não estamos a falar de persistência. E mesmo que pareça um abuso, acreditem que nem o editor nem o ilustrador se vão arrepender do atrevimento, se à primeira página do portefólio surgir um sorriso ou uma expressão aprovadora por parte do primeiro.




2) A segunda coisa a levar é, se o tiverem, um projecto de livro. Soube que antes não era tanto assim, mas hoje as editoras, apesar de também quererem ver os portefólios, desejam ver livros, e estão particularmente interessadas em vê-los em fase embrionária. Os livros sem texto (ou silent books) começam a ganhar muito terreno, e há bastantes editoras interessadas em projectos desse tipo.


3) A terceira é uma boa peça promocional. Um bom cartão de visita ou uma surpresa engraçada que inclua o vosso contacto para deixar às pessoas com quem falarem. Acima de tudo, algo que desperte sorrisos e que seja um bom quebra-gelo. Quanto mais criativo e inteligente melhor! Ajudou-me muito, principalmente quando falava com editoras com quem não tinha entrevista marcada, a série de postais ilustrados que fiz para a feira. Mesmo que me respondessem mal-humorados, sorriam sempre ao receber os postais - toda a gente gosta de presentes.


4) Não vão para a BCBF sem terem entrevistas agendadas com algumas editoras. Existem casas editoriais que se predispõem a receber ilustradores sem entrevista marcada, mas as filas são imensas e nada vos garante que o vosso estilo é de alguma maneira adaptável às editoras em questão. Estive em várias dessas filas, e apenas duas vezes consegui o cartão do director editorial. Pelo contrário, praticamente todas as entrevistas que já tinha marcadas trouxeram bons frutos e contactos. Quão cedo se deve começar a preparar isto? Se a Feira é em Março, desde Janeiro, porque ainda é demorado percorrer a lista das editoras presentes, ver quais delas interessam, enviar-lhes mails, esperar respostas, e agendar entrevistas.


5) Um companheiro ilustrador. Se puderem, não vão sozinhos. Um colega ou amigo ilustrador é uma grande ajuda e apoio, principalmente alguém com gostos comuns aos vossos, a nível de ilustração e traços editoriais. No mínimo são quatro olhos a vasculhar os pavilhões, quatro mãos a desfolhar livros, duas a bocas a dizer 'Tens de ver isto! Anda cá!'. Cada um, com as diferentes percepções que vai tendo das suas próprias entrevistas, vai enriquecendo o outro com a sua experiência. (E para as ilustradorAs, dá sempre jeito ter por perto uma amiga que lhe segure o portefólio enquanto se maquilha...)






Três conselhos para lá das portas da BCBF

Já estão lá dentro? Yey, vão adorar! Mas não se concentrem apenas nos editores, como aqueles cavalos com palas nos olhos. Olhem à volta, há imensos ilustradores, e é incrível conhecê-los. Vejam outros portefólios, troquem cartões, saibam em que escolas estudaram eles...Se estiverem calados e cerrados, dificilmente poderá acontecer que vos digam 'Sabes uma coisa, o teu trabalho está perfeito para a editora x ou para o mercado do país y. Tens mesmo de ir aos stand deles, é ali!'

Às vezes, mesmo quando já temos os pés bem assentes dentro da feira, há o medo: o meu estilo é demasiado alternativo/detalhado/minimalista/realista/surrealista/gordo/magro e nenhuma editora vai estar interessada nele...Mentira, gigantesca mentira! Na BCBF há espaço para todos os estilos e formas possíveis e imaginárias de ilustrar livros infantis. É só uma questão de persistência até encontrar as editoras certas!

O que de facto não pode faltar no portefólio de um ilustrador é ter um estilo. Corre muitas vezes uma ideia por aí, principalmente em Portugal, que quanto mais versátil uma pessoa for a nível de estilo, melhor - pode fazer mais coisas, ser pau para toda a obra. Errado. Talvez noutros universos seja assim, mas no mundo encantado da edição infantil, eles gostam de saber duas coisas: com o que podem contar e que o ilustrador tem a capacidade de levar uma história até ao fimIsto não quer dizer que um ilustrador não possa apresentar trabalhos pintados com acrílico e depois outros em digital, o que eles simplesmente não querem ver é um portefólio que pareça feito por um colectivo de 5 pessoas diferentes. Também não têm grande interesse em conhecer uma série de ilustrações soltas, mas sim a capacidade que um ilustrador tem ou não tem de contar visualmente a mesma história ao longo de várias ilustrações.


***


A edição infantil é o mercado editorial mais vasto e rentável do mundo, 
uma indústria extraordinariamente criativa, feita para um público exigente e maravilhoso. Num país territorialmente pequeno e urbano-centrista como o nosso, um jovem ilustrador está obrigado a abrir asas, a criar novos projectos e a procurar novos clientes! E a BCBF é um espaço previligiado para esses voos.


Espero ter conseguido passar este bichinho da curiosidade que deixaram dentro de mim em 2010. E se calhar vemo-nos na próxima BCBF.



StartIUPI

No passado dia 16 de novembro começei a trabalhar num projecto de ilustração e paginação de um manual de Empreendedorismo para crianças, destinado a pais e educadores de petizes a partir dos seis anos. O livro tinha de estar pronto pelo Advento, o que desde o início me fez ver este trabalho como um exercício de loucura, encabeçado pelo responsável pela concepção e autoria do texto, o entusiasta Fernando Mendes.
No entanto, a 30 de novembro, voava o ficheiro Indesign de 200 páginas para a gráfica, e poucos dias depois chegava-nos o livro prontinho para venda.
Este belo livro chama-se 'StartIUPI: fazer coisas' e tem como pedra angular a ideia de que é urgente ajudar as crianças a tornarem-se elas as construtoras dos seus próprios sonhos. Sinto-me muito orgulhosa por ter feito parte deste projecto louco mas generoso!
Para comprar o livro ou saber mais sobre o universo StartIUPI, viaje para aqui.

In the 16th november I started working on the illustrations and layout for a manual of Entrepreneurship for children, aimed at parents and educators of kids from the age of six. The book had to be ready by Advent, which made me see this work as an exercise of madness, headed by the responsible of conception and author of the text, the entusiastic Fernando Mendes.
However, in the 30th november, the 200 pages' Indesign file flew to the print and a few days later the book arrived, ready to be sold.
This fine book is called 'StartIUPI: to do things' and its cornerstone lies in the idea that it is urgent to help our children become the construtors of their own dreams. I feel very proud to make part of this wild but generous project!
To buy this book or to know more about the StartIUPI universe, go here.

YouFab 2012


YouFab 2012 foi um concurso lançado pelo FabCafe e o loftwork. O FabCafe é o primeiro café do Japão a ter uma impressora a laser e abriu as portas há menos de um ano atrás em Tóquio! O loftwork é uma plataforma global online para criativos.
O objectivo da competição era recolher ideias de todo o mundo para novas utilizações da impressão a laser. Participei com duas propostas para a categoria de MacFab, ou seja, uma proposta que usava como superfície de corte a capa de um MacBook, e cheguei à shortlist dos 15 finalistas com 'o jardim das hespérides'! Foi verdadeiramente gratificante ver o meu trabalho aprecidado por um júri tão longe de casa! Podem apreciar tudo aqui.

YouFab 2012 was a competition held by FabCafe and loftwork. FabCafe is the first café in Japan with a laser cutter, it opened its doors in Tokyo some months ago and it looks GREAT! Loftwork is a fun-goodlooking-global-open platform for creative talents.
The intent of the contest was to receive exciting laser cutted design ideas from around the world. I applied with two proposals within the category of Mac Fab - which is using a MacBook cover as a canvas for an original design, and actually got to the shortlist of the 15 finalists with 'the garden of the hesperides'! It was really rewarding to know that my work was appreciated by a jury so far from home! You can check it all out here.

Tapirulan


Desde 2006 que a Tapirulan, uma associação cultural italiana, fomenta a exposição do trabalho dos ilustradores, através de um concurso de calendário. É simples, todos os anos é proposto um tema e os ilustradores devem enviar um trabalho original que represente ou explore o mesmo. Posteriormente, é feita uma exposição com os 40 melhores trabalhos, e impresso um belíssimo calendário ilustrado com os 12 finalíssimos. Este ano, na sua oitava edição, foi proposto o tema 'Buffet'. Quem me conhece, sabe que tenho uma especial paixão por tudo o que envolve comida. Cozinhá-la, comê-la e... ilustrá-la. Conto-vos agora feliz que fiquei seleccionada entre os 40 melhores trabalhos, e que por isso vou ter o meu trabalho impresso e exposto na linda cidade de Cremona, de 1 de Dezembro a 27 de Janeiro! Esta é a versão final do trabalho que enviei. Podem ver a minha participação aqui e os restantes trabalhos seleccionados para a exposição acolá.

Since 2006 Tapirulan, an italian cultural association, promotes the exposure of illustration work through several initiatives, includind an anual calendar competition. Every year they come up with a theme and the illustrators who wish to participate must send original pieces that represent or explore it. Later, they select the 40 best works and print a wonderful calendar with the 12 'best of the best' images. This year, for the contest's 8th edition, the theme was 'Buffet'. Who knows me, knows I have passion for everything related to food. Cooking it, eating it and...illustrating it. I am very happy to tell you that my application was selected as one the 40 best illustrations and will be displayed in the beautiful city of Cremona, from 1st December '12 to 27th January '13! You can see my participation here and all the selected works there.

13th August

O mar é xilogravura. O resto, collage e pintura digital. A impressão 1/1 foi a prenda de aniversário da minha irmã mais velha, que sempre me ensinou a ir contra a corrente com alegria e confiança. Felizes 31!

The sea was made with woodcut. The rest with collage and digital painting. The 1/1 print was my big sister's birthday gift. She always taught me to go against the tide, with joy and trust. Happy 31!

Elephanta


Quase no final da pós-graduação, a minha colega Noemí propôs um concurso à nossa turma: fazer uma variação ilustrada a partir do logo do ELEPHANTA, um delicioso bar teteria do bairro de Grácia, em Barcelona. Inspirei-me no imaginário do circo para dar forma a esta elefanta com o seu filhote, e acabei por fazer duas versões, uma digital e outra pintada com acrílico sobre papel. Se passarem por Barcelona, não deixem de ir tomar o melhor gin tónico da cidade!

Almost at the end of my Post-graduation course, my colleague Noemí proposed us a competition within the class: to do an illustrated variation of the logo ELEPHANTA, the brand of a delicious bar and tea house of Barcelona. I inspired myself in the idea and magic of circus to give shape to this female elephant with her cub, and managed to do two versions, one purely digital and another one painted with acrylic. If you ever go to Barcelona, stop by the best gin tonic in the city!